terça-feira, 24 de março de 2009

QUEM ERA CLODOVIL HERNANDEZ?



Li esta matéria no Blog do jornalista Guilherme Guidorizzi , onde ele conta a história do polêmico Clodovil Hernandez. Achei a matéria muito interessante e resolvi também publicá-la no meu Blog.

Não sei por que, mas sempre gostei do jeito de ser de Clodovil. Sempre achei aquele jeitão dele de falar o que tinha vontade muito interessante. Confesso que também sempre o achei muito triste e solitário, mas não consigo ver maldade em sua pessoa. Acho que, na realidade, ele sempre atacou para se defender, mas não sou o dono da verdade, aliás, ninguém é. Só o próprio Clodovil sabia quem ele era de verdade.

Leia você também a matéria e deixe sua opinião. Acho que será interessante ler o que as pessoas acham dessa figura que ficou famosa por polemizar com tudo e com todos:

"Durante toda a vida, Clodovil soube como ninguém aliar a inteligência à polêmica de suas declarações e por não ter papas na língua. Nascido em Elisário, interior de São Paulo, em 17 de junho de 1937, o apresentador, deputado e estilista Clodovil Hernandes foi adotado, ainda pequeno, por um casal de imigrantes espanhóis - Domingo Hernández e Isabel Sánchez - e nunca conheceu seus pais verdadeiros, tampouco contou aos de criação que sabia que não era filho legítimo deles. Passou a infância num colégio interno mantido por padres católicos e maistarde, formou-se como professor. Mas, foi no mundo da moda que ficou conhecido, ganhando a fama de estilista de alta costura e por causa de uma suposta rivalidade com Dener Pamplona de Abreu, morto nos anos 70.

Na televisão, Clodovil acumulou mais de 45 anos de profissão, tendo trabalhado na Globo, Manchete, Bandeirantes, Gazeta, Rede TV!, CNT, Rede Mulher e TV JB. Em 1976, participou do programa “8 ou 800?”, apresentado por Paulo Gracindo, onde respondeu perguntas sobre Dona Beija. Na década seguinte, o estilista passou a apresentar programas de televisão, iniciando a carreira no “TV Mulher”, ao lado da então sexóloga Marta Suplicy e de Ney Gonçalves Dias. Nos anos 90, esteve à frente de atrações como “Manchete Shopping Show”, “Clô para os Íntimos”, “Clodovil Abre o Jogo”, “Clodovil Soft”, “Mulheres”, “A Tarde é Sua” e “Por Excelência” e imortalizou o bordão ‘olha para a lente da verdade’.

Na mesma época, passou a colecionar diversos desafetos, processos e demissões por causa de seu temperamento explosivo e por suas declarações polêmicas, envolvendo, entre outros, a ex-prefeita Marta Suplicy, as apresentadoras Christina Rocha, Luiza Mell e Adriane Galisteu, os humoristas do ‘Pânico na TV’, a vereadora Claudete Alves e a deputada Cida Diogo. Por causa disso, foi demitido da Bandeirantes, no final dos anos 90, e da Rede TV!, em 2004. Após deixar a televisão, Clodovil se dedicou ao teatro, onde estreou, em janeiro de 2006, a peça ‘Eu e Ela’, onde aparecia encarnando papéis femininos, com direito a meia-calça preta e salto alto.

Já em 2006, foi eleito deputado federal por São Paulo, pelo PTC, conseguindo a terceira maior votação do partido, e tendo como lema que Brasília nunca mais seria a mesma. Homossexual assumido, Clodovil afirmava na campanha, em tom irônico, ‘Vocês acham que eu sou passivo? Pisa no meu calo para você ver..’, mas sempre se declarou contra o casamento entre pessoas do mesmo sexo e as paradas do orgulho gay. Um ano após a eleição, trocou de partido, se filiando ao PR e conseguiu, semana passada, manter seu mandato, apesar da denúncia de infidelidade partidária. Já como deputado, Clodovil sofreu um acidente vascular cerebral (AVC) de leve intensidade, em junho de 2007, ficando internado sete dias em um hospital particular de São Paulo. Um mês antes, havia passado por um cateterismo, e em 2005, descoberto um tumor na próstata, ao qual foi submetido a uma cirurgia para extração da glándula. O câncer, porém, não produziu metástase.

O apresentador enfrentou ainda uma cirurgia na uretra e uma embolia pulmonar. Ontem, o parlamentar foi encontrado desmaiado, em seu quarto e encaminhado para um hospital de Brasília, em coma. Avaliado pelos médicos, seu estado de saúde foi avaliado como gravíssimo, chegando a sofrer uma parada cardiorrespiratória por cerca de cinco minutos, e estando no grau 3 de coma, o mais profundo. A morte cerebral foi confirmada por volta das 15h45. Clodovil tinha 71 anos."

FONTE: (http://centraldenoticias.wordpress.com/2009/03/17/obituario-clodovil/)

Um comentário:

DALVINHA disse...

Oi Luciano, gostei muito da postagem sobre Clodovil. Eu o admirava muito pelo jeito de ser dele, verdadeiro.

musica