segunda-feira, 17 de outubro de 2011

CASTELOS BRASILEIROS

O Lua Cheia Hostel é um castelo com ares medievais construído em plena praia de Ponta Negra, em Natal, Rio Grande do Norte.

Os brasileiros não precisam viajar para a Europa para verem castelos. Eles estão aqui mesmo no Brasil e Foram construídos para realizar um sonho de infância, agradar uma mulher, ostentar ou proteger.

Hoje, alguns servem de moradia e outros são museus, centros culturais ou estabelecimentos comerciais. De qualquer forma eles estão firmes e fortes e prontos para receber sua visita. É claro que tudo isso apenas serve para reforçar o quão importante foi a influência de nosos colonizadores em nossas vidas.

Uns são herança da família real portuguesa, outros tomaram a arquitetura medieval emprestada da realeza para ostentar o poder da era dos barões do café. Há ainda as casas de gente comum, plebeus que transformaram suas residências em moradas de reis.

Inspirados nos europeus, os castelos brasileiros também têm muita história para contar. Postamos algumas dessas construções para que nossos leitores vejam que os brasileiros estão com tudo e não estão prosa.

O castelo da Ilha Fiscal, no Rio de Janeiro, foi projetado pelo engenheiro Adolpho José Del Vecchio para o Ministério da Fazenda, que pretendia ter ali um posto aduaneiro. Del Vecchio elaborou um projeto arquitetônico em estilo neo-gótico com inspiração nos castelos franceses do século 14. A construção levou quase oito anos e foi feita por portugueses e escravos, sendo finalizado em 1889, juntamente com a urbanização da ilha.

O Castelo do Batel, em Curitiba foi inspirado nos castelos do Vale do Loire, na França. Em 1923 o cafeicultor Holanda Luís Guimarães adquiriu um grande terreno e encomendou o projeto do castelo ao arquiteto Eduardo Fernando Chaves.

O Castelo Simões Lopes foi construído em 1922, em Pelotas, no Rio Grande do Sul, por Augusto Simões Lopes, que foi prefeito, deputado e vice-presidente do Senado. A construção também já abrigou entidades culturais, como o Instituto Histórico e Geográfico de Pelotas, Academia Sul-Brasileira de Letras, Centro Literário Pelotense.

De propriedade particular de José Ronilson Dantas, o castelo de Bívar foi construído por volta de 1984, próximo ao Rio Carnaúba, no Rio Grande do Norte.

Com 2142 m², o castelo Eldorado foi construído em Marilândia do Sul, Paraná. Os quatro andares abrigavam inúmeros aposentos, que foram construídos e decorados com todo luxo e conforto: escadarias, elevador, banheiro em mármore carrara, vitrais franceses e lustres de cristal tchecos. Muitos dos moradores locais acreditam que a família construiu tal castelo para servir de refúgio aos alemães contra a perseguição nazista da época.

O Castelo do Batel, em Curitiba foi inspirado nos castelos do Vale do Loire, na França. Em 1923 o cafeicultor Holanda Luís Guimarães adquiriu um grande terreno e encomendou o projeto do castelo ao arquiteto Eduardo Fernando Chaves.

Edvonaldo Bezerra Torres, um empresário pernambucano de 47 anos, resolveu transformar sua casa num castelo cheio de minaretes da arquitetura árabe e contornos dos edifícios majestosos desenhados em Barcelona no final do século 19

João Ferreira, o João Capão, é pernambucano de Garanhuns, eletricista, tem 64 anos e tinha o sonho de construir um reinado. Um dia ele assistiu a um filme e viu suntuosos palácios de reis. Há 17 anos, João iniciou a construção do seu sonho. Já ergueu duas torres com ares medievais, um salão, um jardim com fonte e alguns “puxadinhos” que, em breve, se transformarão em aposentos.

Construído na década de 20, o castelo de Itaipava, em Petrópolis, Rio de Janeiro, é uma reprodução dos castelos renascentistas. Projetado pelo arquiteto Lúcio Costa e seu amigo Fernando Valentim, foi erguido com materiais provenientes da Europa.

O Castelo Mourisco hoje abriga a sede da Fiocruz, no Rio de Janeiro. Sua arquitetura é a de um palácio inglês do período elizabetano, com suas torres, ameias e galerias.

O castelo do Instituto Ricardo Brennand é o Museu de Armas São João. A construção no bairro da Várzea, no Recife, tem aspecto medieval, mas foi erguida há apenas seis anos, com mais de um milhão de visitas até hoje.

A Villa Medieval é um castelo que comporta um complexo cultural em São José dos Campos, São Paulo. A arquitetura é inspirada no castelo de Langeais, no Vale do Loire, na França, na Torre de Mounmouth, no País de Gales, e no castelo do príncipe alemão Von Earbach.

O Castelo de Pedras Altas, no Rio Grande do Sul, foi o centro das disputas políticas que provocaram a Revolução de 1923. A fortaleza feita em granito rosa desponta na paisagem isolada da região sul do estado com traços medievais, idéia de seu criador, Joaquim Francisco de Assis Brasil.


O Castelo da rua Apa, no bairro de Santa Cecília, São Paulo, hoje enfrenta o abandono, após as histórias de sangue e glamour que o rondaram na década de 30. Na noite de 12 de maio de 1937, três membros de uma das mais abastadas e tradicionais famílias, os Reis, foram encontrados mortos no interior do castelinho.

Prédio em estilo medieval, construído em Petrópolis que chama a atenção pelo seu ar misterioso. Seu acervo reúne centenas de peças de diversos períodos, destacam-se baionetas, armas de fogo, estampas e gravuras militares, além de armas indígenas.

O Castelo do Engady, construído pelo Padre Antenor Salvino, em 1974, é uma das principais atrações turísticas da região do Seridó, no Rio Grande do Norte. Construído em estilo mouro-medieval, o castelo foi a residência oficial do padre por vários anos. Hoje, funciona o Corpo de Bombeiros da cidade de Caicó.


O Château Lacave fica na cidade de Caxias do Sul, Rio Grande do Sul, e é o único castelo na América Latina a abrigar uma vinícola. Idealizado pelo empreendedor espanhol Juan Carrau, em 1968, o Lacave ocupa uma área de 70 mil m². Sua arquitetura é inspirada nos castelos espanhóis do século 11. Dentro dele, funciona uma vinícola e um restaurante no qual garçons e atendentes entram no cima medieval com roupas a caráter.

O Castelo Mourisco hoje abriga a sede da Fiocruz, no Rio de Janeiro. Sua arquitetura é a de um palácio inglês do período elizabetano, com suas torres, ameias e galerias. O Pavilhão Mourisco, como é mais conhecido, começou a ser construído em 1905 pelo arquiteto português Luiz Moraes Júnior, com base em desenhos do próprio Oswaldo Cruz. Com 50 metros de altura e 45 de largura, assenta-se sobre uma base de granito negro.

Construído na década de 20, o castelo de Itaipava, em Petrópolis, Rio de Janeiro, é uma reprodução dos castelos renascentistas. Projetado pelo arquiteto Lúcio Costa e seu amigo Fernando Valentim, foi erguido com materiais provenientes da Europa. Depois de servir como residência de barões, o castelo foi tombado como patrimônio histórico.

O castelo da Ilha Fiscal, no Rio de Janeiro, foi projetado pelo engenheiro Adolpho José Del Vecchio para o Ministério da Fazenda, que pretendia ter ali um posto aduaneiro. Del Vecchio elaborou um projeto arquitetônico em estilo neo-gótico com inspiração nos castelos franceses do século 14. A construção levou quase oito anos e foi feita por portugueses e escravos, sendo finalizado em 1889, juntamente com a urbanização da ilha.

O Castelo Camelot é famoso em São Leopoldo, Rio Grande do Sul - lá funciona um motel temático, inspirado na lenda do Rei Artur. Sua arquitetura é inspirada nos castelos ingleses da Idade Média, um conjunto de pedras vermelhas encravado num bosque, com casamatas, torres e vielas. O mais curioso: no motel-castelo há uma suíte que lembra um calabouço, com direito a jaula e correntes barulhentas.

O Castelinho do Flamengo, no Rio de Janeiro, nada tem a ver com o time carioca. A construção erguida em 1916 no bairro do Catete e projetada pelo arquiteto italiano Gino Copede, serviu de residência do comendador português Joaquim da Silva Cardoso e sua esposa Dona Carolina, que viveram lá até 1932. Hoje, o castelinho abriga o Centro Cultural Oduvaldo Vianna Filho, que comporta uma videoteca, um auditório auditório, duas salas para cursos e workshops e uma sala para exposições de artes.

2 comentários:

marciotan disse...

NÃO IMAGINAVA JAMAIS QUE EM TERRAS BRASILEIRAS HOUVESSE CASTELOS TÃO ENCANTADORES..FIQUEI SURPRESO E MARAVILHADO COM NOSSAS PRECIOSIDADES, TÃO DESCONHECIDAS DO GRANDE PUBLICO. SOU FÃ DOS TEMPOS MEDIEVAIS E TORÇO PRA QUE ESSE ESTILO ARQUTETÔNICO SOBREVIVA A MODERNIDADE.

marciotan disse...

NÃO IMAGINAVA JAMAIS QUE EM TERRAS BRASILEIRAS HOUVESSE CASTELOS TÃO ENCANTADORES..FIQUEI SURPRESO E MARAVILHADO COM NOSSAS PRECIOSIDADES, TÃO DESCONHECIDAS DO GRANDE PUBLICO. SOU FÃ DOS TEMPOS MEDIEVAIS E TORÇO PRA QUE ESSE ESTILO ARQUTETÔNICO SOBREVIVA A MODERNIDADE.